Classificados

Administração

Patrocinadores

 Visitem os Patrocinadores
dos Nobres do Grid
Seja um Patrocinador
dos Nobres do Grid
Carreras son Carreras PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Monday, 05 November 2012 01:05

 

 

Caros amigos, quando Juan Manuel Fangio proferiu a celebre frase: “Carreras son Carreras!”, há mais de 60 anos, seu significado poucas vezes se fez tão presente como nesta última etapa da F1 em Abu Dhabi.

 

No sábado, após os treinos, Fernando Alonso andava desolado pelos bastidores do circuito. Um 7º lugar para a partida e vendo seu rival na disputa do título, Sebastian Vettel, largando em 3º era um cenário dos pilores.

 

Mas eis que vem a notícia e aquele monte de gente falando da “sorte de campeão” que acompanha o Espanhol desde quando o Schumacher quebrou em Suzuka em 2006. Vettel estava desclassificado por ter combustível de menos no carro depois do Q3 nos treinos classificatórios. Iria largar em último. Pior: a equipe decidiu trocar o câmbio e mexer no carro. Ele largaria dos boxes e Alonso avançava uma posição.

 

Com o bom ritmo de corrida das Ferraris – a dele, pelo menos, seria a chance de partir pra cima dos demais e, quem sabe, vencer, torcendo para que Vettel tivesse problemas semelhantes aos que ele teve em 2010, quando perdeu o título andando atrás de Vitaly Petrov, de sua antiga equipe, a Renault.

 

Começa a prova e as coisas vão dando certo. Alonso ganha uma posição e Vettel, nas primeiras tentativas de avançar, danifica a asa dianteira do lado direito. Era o talismã das Astúrias brilhando... até que aquela coisa (não dá pra chamar algum dos HRTs de carro) fica ainda mais lento, lança um fluido hidráulico e leva Nico Rosberg a voar por cima dele, num acidente que provocou a entrada do safety car. E a sorte começa a virar a favor de Vettel.

 

O alemão foi orientado pela equipe e entrou nos boxes no final do período de intervenção do carro de segurança, trocou os pneus de médios para macios e também o bico. Colado no fundo do pelotão, mas com pneus novos, avançou rápido, não demorando a chegar nas posições mais avante quando todos pararam para trocar pneus. Alonso ainda teria um lampejo de sorte com a parada de Lewis Hamilton, mas seu trevo de quatro folhas murchava ali.

 

Depois das paradas, Vettel era o segundo e Alonso o terceiro. Só que o piloto da Red Bull tinha os pneus bem mais gastos e todos certamente iriam ultrapassá-lo pois faltava cerca de 1/3 de prova ainda. A equipe o chama para os boxes e ele ainda consegue voltar em 4º, mas longe da luta do pódio...

 

E eis que a sorte do alemão aparece de novo. Uma confusão com quatro carros provoca a entrada do safety car e junta todo mundo. Quando a corrida recomeçou faltavam 15 voltas e Vettel tinha pneus macios e novos contra os médios um pouco usados dos três que iam à sua frente. Jenson Button, o 3º, fez o que podia e acabou ajudando Alonso, mas Vettel conseguiu passá-lo.

 

Para quem largou em último, dos boxes e teve a asa danificada no início da prova, Vettel pode se considerar o vencedor da corrida, que aliás, foi vencida brilhantemente por Kimi Raikkonen, tornando-se assim o 8º vencedor da temporada e finalmente, levando a ‘Nega Genii’ ao topo do pódio depois de tantas tentativas frustradas em provas anteriores.

 

A diferença entre Vettel e Alonso caiu para 10 pontos. Menos do que o espanhol queria, mais do que Vettel e a Red Bull poderiam sonhar. E a tal da “sorte de campeão”? Bem, esta parece estar sorrindo para o atual campeão... na verdade, bicampeão, Sebastian Vettel.

 

Enquanto isso, no balcão do cafezinho...

 

Felipe Massa, depois que assinou contrato por mais uma temporada, não vem conseguindo repetir suas melhores performances. Nesta prova, escapou por pouco de ficar fora dos pontos. Parece que seu estilo de pilotagem gasta mais pneu que o de Alonso e isso ficou claro quando ele perdeu a posição para Sergio Perez. Pelo menos, conseguiu pontuar.

 

Bruno Senna teve, assim como Vettel, os dois safety car a seu favor, que o ajudaram a recuperar a perda da batida na largada e com a parada extra nos boxes para voltar a pontuar. Só que, desta vez, seu companheiro de equipe não fez as costumeiras bobagens e, depois de largar na 2ª fila, terminou num 5º lugar, contra o 8º de Bruno que está se despedindo da equipe ao final da temporada.

 

E o Kimi heim? Hoje vai faltar álcool nos emirados... será que ele consgue uma fantasia de gorila por lá?

 

Falando um pouco dos outros, o WTCC vai caminhando para ter um novo campeão. Na etapa de Shangai deu tudo errado para Yvan Muller, que se envolveu com toques em seu companheiro de equipe Alain Menu, nas duas baterias, e – desta vez – levou a pior. Abandonou na 1ª foi punido na 2ª. Com isso, Alain Menu e Robert Huff, que fizeram duas dobradinhas, com cada um vencendo uma prova levaram imensa vantagem. Huff disparou na ponta da tabela, com 390 pontos e Menu, com 349, encostou em Muller que ficou com 355.

 

Mesmo sem correr, acometido de uma virose, Cacá Bueno sagrou-se Tricampeão da Copa Fiat. Os resultados combinados da etapa do Velopark não permitiram que André Bragantini tirasse a diferença que tinha para o líder do campeonato. Parabéns Cacá!

 

Na Truck Series, Nelsinho Piquet fez mais uma ótima corrida, depois de ter largado na pole, terminou em 3º lugar no Texas e mantendo-se firme na 7ª posição do campeonato, com duas vitórias. Já na categoria principal, Jimmie Johnson venceu mais uma, mas Brad Keselowsky não desgruda dele. Chegou em segundo e está a apenas 7 pontos do líder do campeonato, faltando duas provas para o final do chase, que vai pegar fogo.

 

Bizarro foi o paraquedista errar o cálculo e descer praticamente em cima do carro do Kevin Harwick...

 

Um abraço e até a próxima,

 

Fernando Paiva