Classificados

Administração

Patrocinadores

 Visitem os Patrocinadores
dos Nobres do Grid
Seja um Patrocinador
dos Nobres do Grid
Como descrever os Heróis do Grid PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Saturday, 07 April 2012 11:02

 

 

Talvez nem todos saibam, mas o título “Nobres do Grid” foi uma sugestão do nosso grande Luizinho e isso pode ser visto aí no “Nobres do Grid” em História dos Nobres,  num trecho de uma carta redigida por ele, de próprio punho. 

 

Creio que todos os pilotos companheiros que estão na “Galeria de Heróis” devem concordar comigo que ninguém melhor do que ele para definir com a sua elegância costumeira, o porque dessa sugestão.  

 

Com as 2  pequenas palavras definiu  tudo que se passava nos anos 60/70, e o que fizemos,  porque é quase impossível descrever. 

 

A meu ver, ”Heróis” em se tratando de pilotos de automóveis, é mais que um simples titulo, creio que é ter coragem, ousadia, sangue frio, persistência e outras tantas coisas que corriam nas nossas veias ainda jovens, mas apaixonados pelo que fazíamos. 

 

Nossa época foi de revelações e fonte de novos rumos para os recém lançados carros nacionais, foi o berço e formação do primeiro brasileiro Campeão Mundial de F1, o  nosso grande Emerson Fittipaldi e outros grandes pilotos que posteriormente se destacaram  no exterior e também chegaram a ser Campeões Mundiais de F1 e muitos outros que se inspiraram nessa geração. 

 

A criação e a formação de verdadeiras equipes de competição, como a Vemag, Simca, Willys, dentro e outras particulares, alem das fábricas, com seus chefes fazendo o impossível para trazer resultados para as marcas com os poucos recursos da época. 

 

 

 

As marcas se tornaram conhecidas, muito automóvel se vendeu no Brasil em função dessas corridas e desses Heróis. 

 

A marca Simca que defendi com orgulho, após as corridas e vitórias de Piracicaba, aumentou e muito as vendas dos Chambord  , assim como a Vemag e a cada vez que o Marinho ganhava na minha cidade, a concessionária de lá também vendia cada vez  mais os pequenos  “ DKW “ e também as Berlinetas, Gordinis, os  Puma e outros tantos nacionais, que utilizavam os bons resultados das corridas desses “ Heróis “  para as mudanças e inovações nos carros de série, e  quem ganhava eram os compradores dos carros nas concessionárias. 

 

Fabricantes como a Cibié que lançou o famoso farol de milha ‘’Oscar” para as noites de neblina fortíssima de Interlagos e  Pirelli com os novos pneus Cinturato, testavam em Interlagos seus produtos, assim como tantos outros fabricantes de auto peças.Tínhamos  as peças em nossas mãos gratuitamente eram os “patrocinadores” parciais mas muito nos ajudavam. 

 

Eu não fazia parte ainda da equipe de corridas da Simca, mas fui contratado pela fábrica  a participar  junto com os pilotos da  equipe oficial  (Jaime Silva, Ciro Cayres,  José Fernando 'Tôco' Martins, Ubaldo Cesar Lolli), e mais outros pilotos, do famoso “Teste de Robustez” num trecho de estrada entre Paracatu e Brasília de 224 km cada trajeto. 

 

 

 

Ali testamos duramente durante 44 dias e 44 noites, o  carro com o  novo motor Tufão e daí pude entender o quanto os pilotos  eram importantes, pois fazíamos 450 Km entre a ida e a volta, guiando praticamente de “ pé embaixo “ numa estrada deserta ,com retas enormes , subidas, descidas com e curvas fechadas desníveis (altitudes de até 1250 mts), o equivalente a 8 anos de uso normal até percorrer os 120.048 Km. 

 

O Novo Simca Tufão substituiu então o antigo Chambord, já cansado na França desde 1958, originario do Vedette com um pequeno V8 desde 1953. 

 

Nas 24 Horas de Interlagos de 1960  tínhamos como “novidades” os primeiros Chambord nas mãos do Ciro Cayres com um carro  emprestado do Inázio Terrana. 

 

Em 1961, já com Ciro, Bird  e o Avon os carros mostraram ser competitivos e daí até a carretera 26 de 2 portas e teto rebaixado que venceu aos 1600 km de Interlagos com Ciro e Jaime foi uma ascensão incrível. O Simca foi uma marca desenvolvida no Brasil sem duvida e na mão de grandes Nobres do Grid. 

 

 

 

Em 1966 novamente nas 24 horas de Interlagos, conseguimos um 4° lugar na classificação geral, 1° piloto independente, 1° na categoria acima de 2500 cc, percorrendo 297 voltas contra 301 voltas do vencedor (Alfa Giulia).  

 

Meu parceiro foi o grande e saudoso Expedito Marazzi,  seguidos de outros os 4  Simcas que vão abaixo;

  Simca 28   Roberto Gomes e Ugo Galina

  Simca 82   Eduardo Celidonio e Zoroastro Avon

4 ° Simca 89   Rui Santiago e Jota

  Simca 87   Claude Bernard e Lucio Naja

 

Comprovadamente a marca Simca, já sem a equipe oficial de fábrica, brilhou como nunca e se consagrou em Interlagos. 

 

Em 1966 a Simca do Brasil já oferecia os motores Emi Sul com 2 versões, 130 e 140 HP, tudo desenvolvido no Brasil e muita coisa nas pistas, foi o primeiro motor V8 de combustão hemisférica no hemisfério Sul. 

Os “Heróis do Grid” não foram só pilotos de corridas, mas ajudaram  muito o desenvolvimento da nossa Industria automobilística  na fase mais  importante do seu crescimento. 

 

 

 

Todos esses “Heróis” participaram e contribuíram de alguma forma para esse fato importante, creio que essa é a melhor descrição deles. 

 

Já se passaram 50 anos, é  inesquecível , alguns dos nossos já se foram , mas continuam vivos em nossas lembranças e parece  que foi ontem! 

 

Parabéns ao grande Luizinho por essa escolha e parabéns  a todos os ex pilotos Nobres do Grid meus companheiros dos Anos Dourados do nosso automobilismo! 

 

Valeu!!! 

 

Abraço a todos, 

 

Walter Hahn Junior  

 

Last Updated ( Saturday, 07 April 2012 11:45 )