Classificados

Administração

Patrocinadores

 Visitem os Patrocinadores
dos Nobres do Grid
Seja um Patrocinador
dos Nobres do Grid
24 Horas de Le Mans 2010 PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Saturday, 26 June 2010 10:17

 

Olá amigos,

 

Cerca de 2 horas antes da largada, era esta a visão da pista. Mais de 230 mil pessoas foram ao mítico circuito para as 24hs de 2010.

 

A Audi conquistou sua nona vitória na 78º edição das 24 horas de Le Mans em 2010 depois de conseguir resistir (este talvez seja o melhor termo) a disputa travada contra os carros da Peugeot, vencedora da edição do ano passado. Acompanhamos a prova em loco, mas antes de relatar os principais fatos ocorridos, convidamos o leitor a conhecer um pouco sobre os participantes desta que é a mais tradicional e importante prova de endurance do mundo.  

 

No grid das 24 horas de Le Mans temos alinhados carros de quatro categorias distintas: A Protótipos 1; a Protótipos 2; a Gran Turismo 1; e a Gran Turismo 2. Cada carro tem suas características específicas como se vê abaixo:  

 

 LMP1:

 


Com cockpits abertos ou fechados, tecnologicamente ultra-sofisticado, os carros da categoria LMP1 são os carros que brigarão pela vitória na categoria geral. Nesta categoria, estão os favoritos Peugeot 908, os poderosos Audi R15, os R10, versão anterior, os Orecas de alta performance, e também os cupês Lola com motores Judd e Rebelion, os Pescarolos, o Ginetta-Zyteks ... e, claro, os novos Lola-Aston Martin de fábrica! E a partir deste ano, na LMP1, carros híbridos serão regularmente classificados. As principais características LMP1 são as mesmas do ano passado, mas também há de se registrar o fato de que, desde 2008, os carros estão usando gasolina constituída de 10% de etanol, bem como diesel BTL para os carros à Diesel. São os biocombustíveis de segunda geração, elaborados a partir da parte não comestível das plantas.
 
• Peso mínimo: 900 kg para os carros movidos a gasolina e 930 kg para motores diesel
• Comprimento da asa: 1m60
• Capacidade máxima do motor: 6000 cc a gasolina motores atmosféricos, 4.000 cc para os motores turbo e 5.500 cc para os motores diesel
• Diâmetro máximo do disco: 38 centímetros
• Capacidade do tanque: 90 litros (81 litros para motores diesel)
• Feixe de luzes dos faróis: Branco
• Números de Corrida: 24/01

• Adesivo da categoria LMP1: vermelho

 

LMP2:


Mais leves e menos potentes do que o LMP1s, o LMP2s também pode ter qualquer cockpits – abertos ou fechados – e é essencialmente reservada para as equipes privadas. Entre eles, encontramos os Lolas com motores Judd, os Pescarolo-Judd , e também alguns Spyders Porsche RS e outros Ginetta-Zyteks.

Em 2008, foram introduzidas várias alterações no regulamento com o objetivo de reduzir custos. Assim, para evitar os custos adicionais da pesquisa em forma de reduzir o peso dos carros, que da em LMP2s foi aumentada em 50kg. Com esta mesma forma de raciocínio como na LMP1, a utilização de motores produzidos em série foi autorizada.
 
• Peso mínimo: 825 kg
• Comprimento da asa: 1m60
• Capacidade máxima do motor: 3.400 cc e um máximo de 8 cilindros para motores atmosféricos ou 2.000 cc com um único turbo e um máximo de 6 cilindros para motores de turbo
• Diâmetro máximo do disco: 38 centímetros
• Capacidade do tanque: 80 litros
• Feixe de luzes dos faróis: Branco
• Números de Corrida: 25-49
• Adesivo da categoria LMP2: azul

 

GT1:


Na LM GT1 categoria, os Saleens, Fords GT, Corvettes C6, Lamborghinis Murcielago e Aston Martins irão representar a categoria, que terá só 8 carros inscritos. Consideravelmente modificados em comparação com sua unidades de produção em série, os carros da LM GT1 tem uma potência que pode chegar a 560cv, com um peso mínimo de 1,200 kg ou 600cv com um peso mínimo de 1.250 kg. velocidades muitas vezes próximas as superiores conseguidas pelos protótipos.


As regras da categoria são, a partir de agora, aberta para a nova geração de LM GT1s.

Não houve nenhuma alteração aos regulamentos desde 2007: 
 

• Peso mínimo: 560 cv com um peso mínimo de 1,200 kg ou 600 cv com um peso mínimo de 1,250 kg
• Largura máxima: 210 centímetros
• Capacidade máxima do motor: 8.000 cc para motores atmosféricos, 4.000 cc para os motores turbo
• Os freios de carbono autorizadas
• Capacidade do tanque: 90 litros
• Máximo de caixa de 6 velocidades
• Feixe de luzes dos farois: Amarelo
• Números de Corrida: 50-74
• Adesivo da categoria GT1: verde
 

 

GT2:

Também são carros gran turismo, menos potentes que os GT1 (entre 450 e 500cv). A temporada 2010 apresenta uma diversidade maravilhosa, nesta categoria, que deverá fazer as delícias de muitos novatos e do público devido aos carros serem bem parecidos com os encontrados nas ruas e estradas européias. Porsche 997s, 911s, o Ferraris 430, BMWs M3, Jaguares, Corvettes e outros como o poderoso Spyker C8s e o Aston Martin Vantage V8.

Não foram as alterações técnicas introduzidas nesta categoria altamente competitiva para 2010.
 
• Peso mínimo: 1,145 kg
• Largura máxima: 200cm
• Capacidade máxima do motor idêntico ao LM GT1 categoria
• Os freios de carbono são proibidos (exclusivamente com base de ferro)
• Capacidade do tanque: 90 litros

• Máximo de caixa de 6 velocidades
• Feixe de luzes dos faróis: Amarelo
• Números de Corrida: 75-99
• Adesivos categoria GT2: Laranja

 Na lista dos inscritos, 56 carros e mais de 160 pilotos, somando-se as quatro categorias (18 na P1; 12 na P2; 08 na GT1; e 18 na GT2). 

 

LMP1

1 Team Peugeot Total, Alexander Wurz / Marc Gene / Anthony Davidson, Peugeot 908 HDi FAP
2 Team Peugeot Total, Nicolas Minassian / Franck Montagny / Stephane Sarrazin, Peugeot 908 HDi FAP
3 Peugeot Sport Total, Sebastien Bourdais / Simon Pagenaud / Pedro Lamy, Peugeot 908 HDi FAP
4 Team ORECA Matmut, Olivier Panis / Nicolas Lapierre / Loic Duval, Peugeot 908 HDi FAP
5 Beechdean Mansell Motorsport, Nigel Mansell / Greg Mansell / Leo Mansell, Ginetta-Zytek Z09R
6 AIM Team ORECA, Soheil Ayari / Didier Andre / Andy Meyrick, ORECA 01 AIM
7 Audi Sport Team Joest, Tom Kristensen / Rinaldo Capello / Allan McNish, Audi R15 TDI
8 Audi Sport Team Joest, Marcel Fassler / Andre Lotterer / Benoit Treluyer, Audi R15 TDI
9 Audi Sport North America, Mike Rockenfeller / Timo Bernhard / Romain Dumas, Audi R15 TDi
11 Drayson Racing, Paul Drayson / Jonny Cocker / Emanuele Pirro, Lola B09/60 Judd
12 Rebellion Racing, Neel Jani / Nicolas Prost / Marco Andretti, Lola B10/60 Rebellion
13 Rebellion Racing, Andrea Belicchi / Jean-Christophe Boullion / Guy Smith, Lola B10/60 Rebellion
14 Kolles, Christijan Albers / Scott Tucker / Manuel Rodrigues, Audi R10 TDI
15 Kolles, Christian Bakkerud / Oliver Jarvis / Christophe Bouchut, Audi R10 TDI
19 Autocon Motorsports, Michael Lewis / Tony Burgess / Bryan Willman, Lola B06/10 AER
007 Aston Martin Racing, Harold Primat / Adrian Fernandez / Stefan Mucke, Lola Aston Martin
008 Signature Plus, Pierre Ragues / Frank Mailleux / Vanina Ickx, Lola Aston Martin
009 Aston Martin Racing, Darren Turner / Juan Barazi / Sam Hancock, Lola Aston Martin

 

LMP2

24 OAK Racing, Jacques Nicolet / Richard Hein / Jean-Francois Yvon, Pescarolo 01 Judd
25 RML, Mike Newton / Thomas Edros / Andy Wallace, Lola B08/80 HPD
26 Highcroft Racing, David Brabham / Marino Franchitti / Marco Wernes, HPD ARX-01C
28 Race Performance, Pierre Bruneau / Marc Rostan / Ralph Meichtry, Radical SR9 Judd
29 Racing Box, Luca Pirri / Marco Cioci / Piergiuseppe Perazzini, Lola B08/80 Judd
35 OAK Racing, Jan Charouz / Matthieu Lahaye / Guillaume Moreau, Pescarolo 01 Judd
37 Gerard Welter, Philippe Salini / Stephane Salini / Tristan Gommendy, WR Zytek
38 Pegasus Racing, Julien Schell / David Zollinger / Frederic Da Rocha, Norma M200 Judd
39 KSM, Jean de Portales / Hideki Noda / Jonathan Kennard, Lola B07/45 Judd
40 Quifel – ASM Team, Miguel Amaral / Olivier Pla / Warren Hughes, Ginetta-Zytek
41 Team Bruichladdich, Karim Ojjeh / Tim Greaves / Gary Chalandon, Zytek 07S
42 Strakka Racing, Danny Watts / Nick Leventis / Jonny Kane, HPD ARX-01c

 

GT1

50 Larbre Competition, Roland Berville / Julien Canal / Gabriele Gardel, Saleen S7R
52 Young Driver AMR, Christoffer Nygaard / Tomas Enge / Peter Kox, Aston Martin DBR9
60 Matech Competition, Thomas Mutsch / Romain Grosjean / Jonathan Hirschi, Ford GT
61 Matech Competition, Natacha Gachnang / Cyndie Allemann / Rahel Frey, Ford GT
69 JLOC, Atsushi Yogo / Koji Yamanishi / Hiroyuki Iiri, Lamborghini Murcielago R-SV
70 Marc VDS Racing, Eric de Doncker / Bas Leinders / Markus Palttala, Ford GT
72 Luc Alphand Aventures, Jermoe Policand / Stephan Gregoire / David Hart, Corvette C6.R
73 Luc Alphand Aventures, Julien Jousse / Patrice Goueslard / Xavier Maassen, Corvette C6.R

 

GT2

63 Corvette Racing, Jan Magnussen / Johnny O’Connell / Antonio Garcia, Corvette C6 ZR 1
64 Corvette Racing, Oliver Gavin / Olivier Beretta / Emmanuel Collard, Corvette C6 ZR 1
75 ProSpeed Competition, Paul van Splunteren / Niek Hommerson / Louis Machiels, Porsche 997 GT3 RSR
76 IMSA Performance Matmut, Raymond Narac / Patrick Pilet / Patrick Long, Porsche 997 GT3 RSR
77 Team Felbrermayr Proton, Marc Lieb / Richard Lietz / Wolf Henzler, Porsche 997 GT3 RSR
78 BMW Motorsport, Jorg Muller / Augusto Farfus / Uwe Alzen, BMW M3 E92
79 BMW Motorsport, Andy Priaulx / Dirk Muller / Dirk Werner, BMW M3 E92
80 Flying Lizards Motorsports, Seth Neiman / Darren Law / Jorg Bergmeister, Porsche 997 GT3 RSR
81 Jaguar RSR, Paul Gentilozzi / Ryan Dalziel / Marc Goossens, Jaguar XKR GT2
82 Risi Competizione, Jaime Melo / Gianmaria Bruni / Pierre Kaffer, Ferrari F430 GT2
83 Risi Competizione, Tracy Krohn / Nic Jonsson / Eric van de Poele, Ferrari F430 GT2
85 Spyker Squadron, Tom Coronel / Jeroen Bleekemolen / Peter Dumbreck, Spyker C8 Laviolette GT2R
88 Team Felbermayr Proton, Horst Felbermayr Sr / Horst Felbermayr Jr / Miro Konopka, Porsche 997 GT3 RSR
89 Hankook Team Farnbacher, Dominik Farnbacher / Allan Simonsen / Leh Keen
92 JMW Motorsport, Rob Bell / Tim Sugden / Bryce Miller, Aston Martin Vantage GT2
95 AF Corse, Giancarlo Fisichella / Jean Alesi / Toni Vilander, Ferrari 430 GT2
96 AF Corse, Luis Perez Companc / Matias Russo / Mika Salo, Ferrari 430 GT2
97 BMS Scuderia Italia, Richard Westbrook / Marco Holzer / Timo Scheider, AF Corse, Porsche 997 GT3 RSR

 

Após os treinos, os tempos obtidos pelos competidores em cada categoria foram os seguintes:

 

 

O asterisco na Ferrari da equipe Risi foi motivo de muita discussão nos boxes da GT2, mas a decisão final dos comissários cassou o tempo do time formado por Jaime Melo, Gianmaria Bruni e Pierre Kaffer, obrigando-os a largar na última posição.

 

Duas largadas: Uma "de mentirinha"; uma de verdade! 

 

O dia de sol com algumas nuvens e bom tempo em Le Mans fez com que o público lotasse as arquibancadas e os arredores dos 13 Km do circuito. A largada já não tem mais o charme dos anos 60, em que os pilotos corriam, atravessando a pista, montavam em seus bólidos e arrancavam para a extenuante maratona... tudo em nome da chatíssima, mas necessária segurança.

 

 

Esvaziada a pista, segue-se um ritual simbólico, com os carros dispostos de um lado da pista e os pilotos do outro.

 

Na verdade, os carros ainda são alinhados conforme era a tradição e os pilotos fazem – em teoria – o mesmo ritual, simulando uma largada. Contudo, a largada de verdade é dada na passagem dos carros, alinhados e em movimento, com a sinalização de luz verde e com o agitar de uma bandeira francesa. No caso do teatrinho, alguns pilotos nem correm realmente para seus carros... Mais ânimo, senhores. Tudo pelo espetáculo!  

 

 

A festa, com as tribunas tomadas, atrai competidores de todas as partes do mundo, não só pilotos, mas fabricantes.

 

Os Peugeot 908 pularam na ponta, com Pedro Lamy tomando a ponta, ele que largou na pole position, seguido de Franck Montagny. Marc Gené seguia em terceiro enquanto o quarto carro da Peugeot, tendo Nicolas de Lapierre ao volante, enfrentava uma batalha com Alan McNish, com o Audi número 7. 

 

 

É dada a largada, e os carros turbo diesel da Peugeot pulam na frente, buscando repetir o êxito da edição do ano anterior.

 

Com pouco mais de 17 minutos de prova, o primeiro grande acidente. Um pneu estourado fez o inglês Nigel Mansell, que largou na 18º posição, campeão de 1992 na Fórmula 1, perder o controle do seu Ginetta-Zytek (ele já foi melhor nisso, lembrem-se de Adelaide em 1986) e chocar-se contra o guardrail entre as curvas Mulsanne e Indianápolis. 

 

Levado para um hospital nas redondezas depois de ter sido retirado do carro, foi constatada uma concussão na cabeça, provocada pelo choque (as imagens não mostraram contra o que). Os filhos de Mansell – Greg e Leo – com quem Nigel inscreveu o carro com o famoso “Red Five”, nem tiveram a chance de correr. O piloto ficou hospitalizado por precaução, tendo alta no dia seguinte. 

 

As imagens da transmissão da TV não mostram muitos detalhes do acidente. Mansell demorou para ser removido, mas passa bem.

 

Na P2, a liderança era de Jonny Kane. Na GT1, liderava Peter Kox e na GT2, Olivier Gavin seguia à frente. A bandeira amarela durou mais de 30 minutos até a luta realmente recomeçar.

 

"Corridas só terminam na badeirada final" Sir Jackie Stewart 

 

 

O drama da Peugeot começou com menos de 3 horas de prova: Justamente o carro que começou na liderança, o Peugeot nº3, com problemas na suspensão. Stéphane Sarrazin assumiu a ponta, seguido por Anthony Davidson e Loic Duval, todos com carros da montadora francesa. 

 

 

Na P2, GT1 e GT2, as disputas são mais apertadas, mas são os carros da Protótipos 1 que realmente chamam a atenção.

 

A esta altura da prova, os carros já estavam espalhados pelos mais de 13 Km do circuito, com a liderança na P2 nas mãos de Danny Watts, da Stakka Racing, com grande vantagem sobre Marino Franchitti, da Highcroft, ambos com um HPD ARX-01c. Na GT1, Jonathan Hirschi, tinha 16s sobre Xavier Massen, ambos com Corvettes C6. Na GT2 o time de Jaime Melo, agora com Giamaria Bruni ao volante da Ferrari nº82, voava na pista e já era o segundo, atrás apenas de Olivier Beretta, com um corvette, e se aproximando. 

 

A Peugeot continuava ditando o ritmo próximo das 10 horas da noite, após mais de seis horas de disputa – descontado o tempo do safety car. Alexander Wurz, a bordo do carro nº 1, ampliava pouco a pouco sua vantagem para o companheiro de equipe Nicolas Minassian, do carro nº 2. O Peugeot da Oreca, o nº 4, permanece em terceiro, na mesma volta dos líderes e com uma volta de vantagem sobre o quarto colocado, o Audi de nº 9 de Mike Rockenfeller, Timo Bernhard e Romain Dumas.  

 

 

A Ferrari 430 de Jaime Melo & cia lutou muito, tirou a diferença, assumiu a liderança... e ficou pelo caminho com o câmbio quebrado.

 

Na P2, a liderança continuava nas mãos de Marco Werner da equipe Highcroft. Romain Grosjean, Thomas Mutsch e Jonathan Hirschi mantinham a ponta na classe GT1 com o Ford GT de nº 60, enquanto Pierre Kaffer, que divide a Ferrari F430 com Jaime Melo e Gianmaria Bruni, tomara a ponta na categoria GT2.

 

O Aston Martin de Rob Bell, Tim Sugden e Bryce Miller provocaram a entrada do safety-car novamente na pista, mas por bem menos tempo do que na primeira intervenção. 

 

 

Durante a maior parte da prova, a liderança coube ao Peugeot nº2, de Nicolas Minassian, Franck Montagny e Stephane Sarrazin.

 

Antes da meia noite a liderança da prova mudou de mãos: O Peugeot de nº 2, comandado por Franck Montagny, pulou para a ponta da prova francesa depois que o líder, o Peugeot nº 1 precisou fazer uma parada não programada na sétima hora de disputa. 

 

Um problema no alternador provocou a parada extra do carro pilotado por Marc Gené. Após o trabalho, o carro voltou à pista com três voltas de atraso, na sétima colocação da corrida, mas em uma prova longa e com 16 horas pela frente, ao seria o caso de decretar-se a perda para o trio. A segunda posição foi assumida pelo Peugeot da equipe Oreca, piloto àquela altura por Olivier Panis, estando este a pouco mais de um minuto do líder, Franck Montagny. Com isso a Audi passou para a terceira posição, onde o carro nº 8 de Benoit Treluyer ultrapassou o nº 9, de Mike Rockenfeller, da North America, que também usa um R15. 

 

Na madrugada, a Audi fez sua primeira tentativa de ataque direto à liderança. Neste momento, o Audi nº 9 era o 3º. o nº8, o 4º.

 

Na P2, A equipe Strakka, com Jonny Kane voltou a ponta após perdê-la no início da prova para o Highcroft de Marco Wernes, Marino Franchitti e David Brabham. Uma parada extra  de Brabham por conta de uma vibração no carro tirou-os da ponta.  

 

Thomas Mutsch, com o Ford GT de nº 60, lidera na categoria GT1. Stéphane Gregoire aparece em segundo com o Corvette de nº 72. Na classe GT2, a briga pela liderança foi interrompida depois que a Ferrari 430 da equipe Risi, de Jaime Melo, Gianmaria Bruni e Pierre Kaffer, que chegaram a assumir a ponta, apresentou um problema de câmbio. O novo líder é Oliver Gavin, com Corvette.

 

 

No meio da noit, as tribunas se esvaziam. Tem até shows musicais durante o evento, mas a visão da prova noturna hipnotiza!

 

A madrugada acabou por abater mais um Peugeot, desta feita o da equipe Oreca, de Olivier Panis, Nicolas Lapierre, Loic Duval, com este último tendo ficado longamente nos boxes até retornar, com 6 voltas de desvantagem. Com isso a Audi tentou desferir um “ataque em massa” à liderança, mas como uma corrida longa tem seus percalços, as paradas de boxe dos americanos foram mais longas que o programado e assim, o derradeiro Peugeot a liderar na pista, o nº 2, de Nicolas Minassian, Franck Montagny, Stephane Sarrazin, conseguiu abrir duas voltas de vantagem para o segundo colocado. 

 

Momentos da prova na noite sem lua em Le Mans. Disputas acirradas, pilotagens solitárias, movimentação intensa nos boxes.

 

O desanimo tomou conta dos franceses no alvorecer do domingo, quando ao invés do brilho dos raios de sol os monitores de TV mostravam as chamas saindo da parte traseira do carro dos líderes. Franck Montagny não conseguiu esconder sua decepção “não tenho explicação para isso, não forçamos o carro em momento algum”, declarou.  

 

 

Ao amanhecer do domingo, decepção na casa francesa: O Peugeot nº2 em chamas é o sinal que o as coisas estavam difíceis.

 

Os fiscais tiveram trabalho para tirar o óleo da pista e a Audi agradecia a liderança herdada, contudo, ainda havia um Peugeot andando forte na pista. O carro de Alexander Wurz, Marc Gené e Anthony Davidson recuperava posições depois do problema na noite e já era o terceiro, avançando rápido para cima do Audi de Marcel Fassler, Andre Lotterer e Benoit Treluyer da equipe Joest, que tinha uma volta de desvantagem para os líderes. A vitória era difícil, mas não impossível para a equipe francesa. 

 

 

Ainda havia um fio de esperança para os fanceses, mas este esvaiu-se pouco depois, com abandono do Peugeot nº 1.

 

Contudo, não demorou muito até que os sonhos dos “donos da casa” naufragassem em um mar de óleo. Antes mesmo de alcançarem o segundo lugar, o Peugeot nº 1 passou a virar lento e arrastar-se pela pista. Chegando aos boxes, o óleo vazava para todos os lados. Alguns minutos se passaram e o Peugeot da Oreca também parava. Terminava assim o sonho de repetir a vitória do ano anterior e o caminho estava aberto para um 1-2-3 da Audi.

 

 

A festa "quase toda alemã" da Audi (o carro vencedor pertence a uma equipe da American Le Mans Series). Hegemonia de volta.

 

Ao final de 396 voltas e mais de cinco mil quilômetros percorridos, o resultado final foi o seguinte:

 

 

 

Os brasileiros. 

 

Se não eram os mais velozes, o experiente trio formado por Mike Newton, Thomas Edros e  Andy Wallace soube como levar o Lola B08 ao pódio, terminando em terceiro lugar na classe P2. Edros declarou que, “em uma corrida como Le Mans, a importância da velocidade é relativa. Se a equipe não souber cuidar do carro, sentindo os problemas que ocorrem – e eles sempre ocorrem – durante a prova, não se chega ao final. Aqui, nem sempre o mais rápido vence”, concluiu. 

 

 

Augusto Farfus Jr. Conseguiu um excelente resultado em sua primeira participação nas 24 horas de Le Mans. 6º na GT2, 19º na geral.

 

Nos pilotos da GT2, Jaime Melo era o retrato da desolação. Após uma desclassificação dos treinos, largar em último, fazer uma brilhante recuperação, assumirem a ponta... o abandono por um problema de câmbio era tudo o que não se podia esperar. “Foi um problema atípico, que nunca aconteceu. O câmbio é um dos pontos fortes da Ferrari. Faltou sorte, mesmo. A gente tentou o melhor que podia, tudo estava perfeito. Demos o melhor que o carro permitiu, mas isso não foi o suficiente hoje”, finalizou Melo. 

 

Augusto Farfus Jr. tem motivos para se orgulhar do resultado conquistado nas 24 horas de Le Mans, junto com os seus parceiros – Jorg Muller e Uwe Alzen – no BMW M3 nº 78. O décimo nono lugar na geral e o sexto na GT2, para uma estréia na prova e um início de trabalho no endurance que teve este ano uma vitória soberba em Nurburgring permitem ao jovem brasileiro sonhar com feitos maiores em um futuro próximo.  

 

 

Em Le Mans também tinha "Grid Girls", mas as brasileiras são muito mais bonitas...

 

Antes de encerrar, aviso aos amigos fãs do site dos Nobres do Grid que no próximo mês, teremos a volta da minha seção, a Grand Prix Legends, com a história de mais um grande autódromo. 

 

Till förhandsmöte (Até breve) 

 

Willy Möller

 

Last Updated ( Monday, 28 June 2010 05:46 )