Classificados

Administração

Patrocinadores

 Visitem os Patrocinadores
dos Nobres do Grid
Seja um Patrocinador
dos Nobres do Grid
A Coerência Zero da F. Truck PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Sunday, 07 December 2014 18:17

Caros amigos, no último dia 17 de novembro, enviamos – via assessoria de imprensa – uma proposta de calendário para conciliar as datas dos campeonatos da Fórmula Truck, da Stock Car, do Brasileiro de Marcas e das categorias atreladas a estes, como o Brasileiro de Turismo, o Brasileiro de Fórmula 3 e o Mercedes Challenge. O mesmo também foi enviado à assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de Automobilismo, para chegar às mãos do seu Presidente e da Comissão de Velocidade no Asfalto.

 

Passamos quase dois meses “quebrando a cabeça” para buscar uma forma em que pudéssemos evitar conflitos de horário com as transmissões da Fórmula 1, conflitos de datas entre estas categorias, conflitos geográficos, evitando a realização de corridas no mesmo dia em cidades relativamente próximas e ainda buscamos evitar a realização de corridas em datas próximas na mesma cidade.

 

Não bastasse isso, ainda conseguimos apresentar para a Porsche GT3 Challenge Cup um calendário de datas sem coincidir com nenhum dos outros eventos realizados pelos promotores nacionais. Um trabalho extenuante, mas gratificante, pelo menos para este que assina o Editorial.

 

Nosso trabalho foi imensamente facilitado pela decisão da VICAR em unificar seu calendário, montando o mesmo com apenas 14 datas, sendo uma em fevereiro, como treino coletivo e abertura do campeonato da Fórmula 3, ocupando assim apenas 13 finais de semana entre a segunda quinzena de março e a primeira de dezembro.

 

Prefiro acreditar que nossos estimados assessores de imprensa, que tem nos dispensado um tratamento sério, cortês e profissional ao longo destes anos de cobertura jornalística dos eventos nacionais, encaminharam nosso email para os promotores das categorias acima citadas, apesar de que, com o calendário já estabelecido, enviá-lo à VICAR foi mais um “proforme” do que uma sugestão. Afinal, o formato de seu calendário para 2015 foi muito positivo. Contudo, não receber qualquer tipo de retorno, sequer um “obrigado pelo email, estaremos encaminhando o mesmo” foi decepcionante.

 

Pior do que isso foi receber nos primeiros dias do mês dezembro o calendário da Fórmula Truck, com suas 10 etapas (todas no Brasil, o que de certa forma nos surpreendeu). Incoerente foi o adjetivo mais suave ao qual chegamos depois lermos – incrédulos – a distribuição de datas e locais do evento que é, sem sombra de dúvidas, a categoria mais popular do país.

 

Arquibancada da reta em Curitiba em 2013, foto tirada 20 minutos antes da largada. Mais vazia do que cheia.

 

No ano de 2014 tivemos contra o automobilismo – e demais esportes – a realização da Copa do Mundo no Brasil, evento que ocupou praticamente dois meses do calendário, se incluirmos o período de chegada das equipes e a mobilização da mídia. Seria inevitável a repetição de datas. Contudo, nada... repito NADA justifica o que vimos no email envido pela Grelak Comunicação e nas datas expostas no site da categoria.

 

Se no ano passado foram quatro datas, este ano os organizadores da Fórmula Truck, certamente já cientes do calendário da VICAR, divulgado quase um mês antes, conseguiram colocar cinco – isto mesmo CINCO – corridas em datas já definidas pela VICAR.

 

Não bastasse isso, foi marcada para o dia 04 de outubro a etapa da categoria em Guaporé-RS... no mesmo final de semana em que a VICAR leva para Santa Cruz do Sul-RS, distante apenas 146 Km, a Stock Car e outras três categorias. Uma situação ainda pior do que a protagonizada este ano quando a Fórmula Truck Correu em Brasília e o Brasileiro Marcas correu em Goiânia, distantes 200 Km uma da outra.

 

Mas “o melhor do melhor” é ver no dia 6 de dezembro, marcado o encerramento do campeonato da categoria numa data previamente anunciada como encerramento do Brasileiro de Marcas e da Fórmula 3. Seria até interessante, caso os patrocinadores (até este ano a Petrobras era patrocinadora máster dos três, mas tem os outros) concordem em acomodar-se, fraternalmente, em 1 milhão de metros quadrados para assistir um festival de velocidade. Contudo, acho muito difícil que haja um entendimento entre as partes.

 

A arquibancada da categoria encolheu de 2012 para 2014 em Cascavel. E para 2015, vai encolher mais?

 

Não há como não se perguntar que motivos levam os dois principais promotores do automobilismo no país partirem para este tipo de “confronto”. Os maiores prejudicados são eles mesmos, com a pulverização da exposição das marcas dos seus patrocinadores, ainda mais agora, com as corridas da Stock Car passando a ocorrer às 13 horas. Quem vai colocar uma televisão do lado da outra para assistir as duas corridas?

 

O patrocinador quer exposição e a audiência será dividida. Não adianta o argumento de que “o público da Truck é diferente do público da Stock”. Isto se aplica a uma parte, não ao todo. Quem assiste corrida assiste porque gosta de corrida. Vai para o autódromo “ver a Stock e ‘corre pra casa’ pra ver a Truck”. Como fica com as duas corridas no mesmo dia e horário? Ambos (VICAR e Truck) perderão, mas certamente a perda maior será do lado da Truck, que não tem a maior rede de TV do país ao seu lado.

 

Como qualquer evento precisa de cobertura e divulgação, este conflito volta a expor os profissionais de mídia (jornalistas, assessores de imprensa e fotógrafos), que são contratados por equipes e pilotos e que vivem disso, que tem suas contas pra pagar, são obrigados a abrir mão de trabalhos ou ter que subcontratar outras pessoas para atender seus compromissos, deixando de ganhar dinheiro.

 

Não vejo outro caminho a não ser uma intervenção direta da CBA, seja do próprio presidente Cleyton Pinteiro, seja através do Presidente da Comissão Nacional de Velocidade, Waldner Bernardo de Oliveira, para que haja uma alteração no calendário da Fórmula Truck (sim, porque a VICAR anunciou o seu primeiro) e os conflitos de data sejam desfeitos, uma vez que parece que os nossos promotores não falam o mesmo idioma.

 

Como sugestão, apresentamos a postergação em uma semana da 2ª etapa e a antecipação da 7ª, 8ª e 9ª etapas da Fórmula Truck em uma semana. Quanto ao caso da etapa de encerramento, seria preciso ver a viabilidade de se fazer a corrida no dia 20 de dezembro, uma vez que seria muito difícil realizá-la apenas uma semana após o GP Brasil de Fórmula 1. Mas, a mais importante é de que a CBA tem que tomar à frente deste processo para o bem do automobilismo nacional.

 

Será que a CBA terá coragem de tomar uma atitude neste sentido? Talvez eu seja um sonhador, que espera sempre o melhor das pessoas.

 

Fernando Paiva

 

Last Updated ( Sunday, 07 December 2014 18:57 )